Notícias

Minerva visualiza oportunidades em dez países do mercado árabe

Clipping
Publicado em 30 de Novembro de 2017

Balanço mostra que Oriente Médio foi principal destino de venda em 201

Um mapa de oportunidades para o mercado árabe foi apresentado pela Minerva (São Paulo/SP) em um encontro com investidores na capital paulista. Na oportunidade, a companhia apontou vários países do Oriente Médio e Norte da África entre os principais destinos para envio de carne bovina brasileira.

A Minerva já tem forte presença no mercado árabe. O CEO da empresa, Fernando Galletti de Queiroz, afirma que a Minerva responde por 7% a 8% do comércio mundial de carne e falou aos investidores presentes no evento sobre a estratégia da empresa, segundo ele baseada em três pilares:

  • Aumento da distribuição;
  • Aumento da capilaridade na exportação; e
  • Diversificação geográfica da produção na América do Sul.

“Temos uma condição única no mercado de carnes”, diz Queiroz, complementando que frente a países que se fecham, por exemplo, a empresa tem como rapidamente substituí-los por outros mercados. A Minerva vende para mais de 100 países e tem 26 unidades de abate de bovinos localizadas no Brasil, Paraguai, Argentina, Uruguai e Colômbia. Desde 2015, o fundo saudita Salic é acionista da empresa.

 

 

“O Oriente Médio tem importância grande para a Minerva”, afirma o CEO da empresa (Foto: reprodução)

O CCO da Minerva, Iain Anderson Mars, aponta Líbano, Argélia, Egito, Jordânia, Catar, Arábia Saudita, Kuwait, Omã, Líbia e Emirados Árabes Unidos como países onde há oportunidades. O executivo colocou na lista outros vários mercados de outras regiões do mundo, como Chile, Colômbia, Coreia do Sul, Suíça e África do Sul.

Kuwait e Omã foram descritos como países onde há alto consumo e alto crescimento na demanda por carne. O Líbano está no grupo de nações nas quais há elevado consumo e crescimento baixo. Na Argélia, Egito, Jordânia, Catar e Arábia Saudita há compras baixas, mas aumento no consumo. Na Líbia e Emirados há baixa demanda e pouco crescimento.

Balanço apresentado pela companhia no começo deste mês mostra que o Oriente Médio foi o principal destino de vendas da Minerva nos doze meses encerrados em setembro, com participação de 24% na receita de exportação. Nos doze meses anteriores, essa fatia era de 20%. A Ásia, que era o primeiro destino, passou a ser segundo.

A Minerva tem escritórios na Argélia, Egito e Líbano, no mundo árabe, e abriu um recentemente na Arábia Saudita. De acordo com Mars, do Líbano são comercializados os produtos da Minerva no Golfo e na Jordânia.

 

 

Iain Anderson Mars destaca a estratégia de abertura de escritórios da Minerva e fala que eles são necessários para entender os mercados: “Vamos ao mercado ver o que acontece” (Foto: reprodução)

O quadro apresentado pelo executivo é de diminuição de rebanho bovino em importantes mercados, como Rússia e China, frente a uma expansão na oferta na América do Sul. O Brasil ocupa atualmente o posto de segundo maior exportador de carne bovina do mundo, atrás da Índia, mas o executivo da Minerva acredita que ele passará a ser o primeiro no ano que vem. Austrália é atualmente o terceiro exportador e deve passar o título para Estados Unidos em 2018.

Já a demanda de carne é bem concentrada na Ásia. No ano passado, a região respondeu por 43,6% da importação de carne bovina no mundo e deve passar a 45,9% até o final deste ano. Mars acredita que o percentual chegará a 50% em menos de quatro anos. Os principais consumidores na Ásia são Vietnã, China, Japão, Coreia do Sul e Hong Kong.

Fonte: Agência de Notícias Brasil-Árabe, adaptado pela equipe feed&food.